Você sabe pra onde vai seu lixo eletrônico?

Você sabe pra onde vai seu lixo eletrônico?

Não é nenhuma novidade que os aparatos eletrônicos são fabricados com um prazo de validade. O fato é que a obsolescência programada vai contra os princípios de um mundo mais sustentável e alinhado com as questões ambientais.
De acordo com um relatório divulgado pela ONU no ano passado, são descartados cerca de 44,7 milhões de lixo eletrônico por ano,  o equivalente a 4,5 mil torres Eiffel, tendo o Brasil como o 7º maior produtor de lixo eletrônico do mundo.
Um ponto crucial referente a esses números é que a maior parte desses resíduos não passa pela reciclagem, mesmo podendo. Apesar dos lixos eletrônicos possuírem metais recuperáveis e de alto valor, como prata, cobre, ouro, platina e paládio, somente 3% são coletados de forma adequada no país.
Os países desenvolvidos são os maiores produtores e muitas vezes mandam esses resíduos para países subdesenvolvidos que possuem leis mais frouxas, como Índia e China, onde as partes são separadas e vendidas, em processos que afetam a vida, e principalmente, a saúde das pessoas envolvidas, como também todo o meio ambiente.
Trabalhadores rodam placas de circuito em banheiras de ácido nítrico e clorídrico para liberar a solda e os metais preciosos – ao mesmo tempo, liberam gases que são prejudiciais aos seus olhos. Lascas de plástico provenientes de teclados e monitores, são quebradas em pedaços minúsculos e cuidadosamente classificadas antes de serem queimadas e derretidas. E no final do dia, todos os subprodutos que não têm mais propósitos úteis, são em sua maioria despejados em campos abertos e rios ou queimados.
Nesses processos, há a liberação de metais pesados no meio ambiente, como o mercúrio, que se acumula por toda a cadeia alimentar, principalmente em peixes, os mesmos que poderão estar sendo servidos no nosso jantar.
Talvez não entendemos o impacto que geramos de início no meio ambiente, mas tudo está conectado. Os mais importantes processos da natureza ocorrem em ciclos e nós fazemos parte da maioria deles, mesmo que indiretamente.
Por isso, trabalhar a consciência sobre essas questões é essencial. Não só fazer o descarte correto, mas também reduzir o consumo de resíduo eletrônico é muito importante, já que de acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, possuímos responsabilidade compartilhada sobre todos os resíduos que produzimos.
Então, façamos uma reflexão: será que o nosso celular realmente não atende nossas necessidades e precisamos comprar um novo? Ou que aquele computador quebrado não pode ser consertado ao invés de trocado? Aquele celular que funciona, mas está fora de moda, não serve para aquele tio que não é assim tão moderno?
Pensar de forma mais sustentável só traz benefícios para nós e para meio ambiente. Logo, é importante estarmos sempre buscando informações que nos leve a ter atitudes mais conscientes. Buscar viver em equilíbrio com a natureza é o mínimo que possamos fazer para retribuir toda a riqueza que ela já nos proporcionou.

Se você tem vontade de fazer o descarte de resíduos corretamente no seu empreendimento ou condomínio, entre em contato com a Titanus e saiba como obter um Plano de Gerenciamento de Resíduos.

Mariana Couto

 
Share

Recommended Posts