Nossa água é segura?

Nossa água é segura?

É fundamental o consumo diário de água para um bom funcionamento do corpo, visto que fisicamente somos constituídos por 70% de água (segundo a Organização Mundial de saúde OMS) e a mesma é responsável por diversas funções essenciais para a manutenção da saúde humana, além da sua importância em outras inúmeras práticas diárias da população.

As atividades de consumo da população têm impactado negativamente as reservas de água do planeta, seja através da grande exploração dos recursos hídricos pela agropecuária, sendo esta a principal atividade responsável pelo consumo de água, ou através da contaminação dos recursos hídricos pelo uso desordenado de agrotóxicos. Existe ainda o aumento indiscriminado de deposição de resíduos de sistemas de esgoto domiciliar sem tratamento em corpos d’água.

No início do ano de 2020, a população do Rio de Janeiro notou diferenças na qualidade da água recebida nas residências como sabor, odor e turbidez do líquido. Recentemente o jornal G1 revelou as causas das alterações encontradas na água da estação de tratamento Guandu, responsável pelo abastecimento de cidades do Rio de Janeiro. Segundo análises realizadas pelo laboratório de Microbiologia da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), estas variações foram causadas pela presença de esgotos domésticos e poluição industrial.

Existem parâmetros à serem seguidos no abastecimento de água para consumo humano. A Portaria nº 2.914/2011 dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Estes padrões só são assegurados a partir da realização de análises desses recursos hídricos. A Titanus soluções sustentáveis realiza este serviço comparando os resultados com os padrões determinados seguros para consumo humano pelo Ministério da Saúde. Assegurar a utilização de água potável é de extrema importância, pois ela pode ser via de contaminação de doenças como hepatite A, infecções intestinais, entre outras.

Rebeca dos Santos Moura.

Share