O que fazer com o meu lixo?

O que fazer com o meu lixo?

Durante a Segunda Revolução Industrial, houve a descoberta do petróleo como combustível e, também, como produtor primário para a produção de plásticos. Junto a isso, vieram os problemas ambientais e climáticos, que se agravaram ao longo dos anos. Atualmente, um dos problemas mais falados pelas mídias sociais e ONG’s é a respeito da quantidade de resíduos que produzimos e o seu descarte inadequado, prejudicando a natureza.

Grande parte desses resíduos gerados são plásticos. Segundo uma pesquisa realizada pela WWF (Wolrd Wide Fund For Nature), o Brasil ocupa o 4º lugar de maior produtor de lixo plástico no mundo e apenas 1% da produção total de resíduos plásticos são reciclados, fazendo com que grande parte acabe nos oceanos ou em lixões, provocando prejuízos que afetam, não somente a nós, como também aos animais. Entretanto, é evidente que podemos contribuir para melhorar o atual cenário, mas como podemos fazer isso?

Inicialmente, para reduzir a quantidade de lixo que é gerada, devemos começar por nós. Comece analisando o lixo que você produz dentro de casa. Primeiro, separe entre duas categorias: recicláveis e não recicláveis. Com isso, irá perceber a quantidade de lixo que gera e, assim, poderá perceber o que é mais produzido, para que, então, possa reduzir caso não seja algo de extrema necessidade. Após a separação feita em duas categorias, você poderá separar em mais categorias, como plástico, vidro, papel, metálicos e orgânicos.

O mais recomendado para os resíduos recicláveis é a Coleta Seletiva, que, mediante segregação realizada em casa, poderá ser enviado para uma empresa que realizará separação adequada dos resíduos. Mas como posso fazer a Coleta Seletiva? Existem duas maneiras, sendo elas: a coleta porta a porta e a coleta por Pontos de Entrega Voluntária (PEV’s). Na coleta porta a porta, o resíduo que você gerou e separou poderá ser entregue para uma empresa prestadora de serviços públicos ou para uma cooperativa de catadores de materiais recicláveis. Já a coleta por pontos de entrega voluntária, há pontos estrategicamente situados próximos às casas e às empresas, que serão coletas pelo órgão público.

Em relação ao lixo orgânico, você poderá fazer em casa uma compostagem que, além de reduzir o seu lixo e o desperdício de alimentos, ainda servirá como fonte de nutrientes, através do chorume, e como adubo.

Na vermicompostagem, são utilizados três compartimentos. O primeiro é para a disposição dos restos de alimentos orgânicos junto com um preparado de terra com minhocas. A cada vez que for repor os restos de alimento, deve-se colocar uma camada de serragem ou folhas secas para manter a umidade, sua tampa deve permanecer fechada. O segundo compartimento será utilizado só quando a primeira caixa estiver cheia. O último compartimento armazenará o chorume, originado pela digestão dos alimentos realizada pelas minhocas, líquido rico em nutrientes e vitaminas para as nossas plantas.

Existem composteiras específicas para quem mora em apartamentos e casas que não possuem um solo para a criação de uma composteira direta no chão. Elas podem ser compradas por um preço acessível, dependendo do tipo, tamanho e marca, mas também podemos fazê-la.

Materiais:

1: Três baldes grandes com tampa que se encaixem

2: Furadeira

3: Torneira de filtro

4: Terra

5: Minhocas

Como fazer:

Com o primeiro balde, faça alguns furos na parte inferior do recipiente de uma espessura que seja o suficiente para uma minhoca passar. Com o segundo balde, retire a parte central da tampa, fazendo com que fique apenas o aro para o encaixe no balde e faça furinhos no fundo dele também. No terceiro balde repita o processo da tampa e instale uma torneira de filtro no fundo do balde e está pronto! Agora é só colocar terra, as minhocas e começar a depositar o seu resíduo orgânico.

Dicas importantes:

– Reutilize garrafas pet que você já havia separado na coleta seletiva para servir de depósito para o chorume. Além de evitar gastos com recipientes você estará reutilizando esse material;

– Evite o reuso de garrafas de desinfetantes e outros químicos para não interferir na nutrição das plantas;

– É importante lembrar que a composteira deve ser alimentada somente com alimentos crus, sem temperos e nada de origem animal; (Com exceção da casca de ovo);

– Procure sempre dispor os alimentos com um tamanho menor, assim irá facilitar o processo de decomposição e de digestão para as minhocas, fazendo com que você origine chorume mais rápido.

Cristal Monteiro


Referências:

https://www.wwf.org.br/?70222/Brasil-e-o-4-pais-do-mundo-que-mais-gera-lixo-plastico#:~:text=O%20Brasil%2C%20segundo%20dados%20do,Estados%20Unidos%2C%20China%20e%20%C3%8Dndia.

https://www.mma.gov.br/cidades-sustentaveis/residuos-solidos/catadores-de-materiais-reciclaveis/reciclagem-e-reaproveitamento

Share